O que é o CDI?

Quando as pessoas estão pesquisando sobre investimentos de renda fixa, é comum que elas vejam os rendimentos dos mesmos serem comparados ao CDI. Mas afinal, o que é o CDI?

Entendendo o que é o CDI

CDI é a abreviação de Certificado de Depósito Interbancário. Em síntese, CDI é um título de dívida emitido de um banco X para outro banco Y (sim, bancos emprestam dinheiro entre si). Essa dívida, como toda dívida, tem uma taxa de juros embutida. Vamos entender um pouco melhor.

Qual a importância do CDI?

Em primeiro lugar, para entender porque o CDI é preciso entender um pouco sobre como bancos funcionam. Todos os bancos brasileiros precisam fechar o dia com uma quantidade de recursos em caixa para honrar pelo menos parte dos seus seus empréstimos (isso deriva do Acordo De Basileia). Se no fim do dia um banco X não tem recursos para cumprir essa determinada regra, ele precisa pegar emprestado de um outro banco Y de modo que tenha saldo em caixa. É ai que o CDI entra.

O CDI nada mais é do que um título de dívida de curtíssimo prazo (1 dia) emitido por um banco Y para um banco X com o intuito de melhorar o caixa do banco X e consequentemente a liquidez do mesmo e do sistema. Como todo título de dívida, o CDI tem uma taxa de juros, e é esse o famoso valor que é tão falado e comparado a outros investimentos.

Como o CDI se relaciona com a taxa Selic?

Na prática o CDI acaba sendo muito próximo da taxa básica de juros (Selic), de modo que há até quem confunda uma coisa com a outra frequentemente (apesar de serem diferentes). Mas porque essa relação tão próxima entre CDI e Selic? Para entender porque isso acontece é só pensar com a cabeça de um administrador de banco.

Se você, banco A pudesse pegar dinheiro emprestado de um outro banco B com uma taxa de juros muito menor que a Selic (digamos 2%), e soubesse que o Banco Central fixou a taxa Selic em 7%, você poderia pegar o dinheiro desse banco B emprestado a 2%, reinvestir esse dinheiro em um título do próprio governo que pague a Selic (por exemplo um título do tesouro) e ganhar a diferença sem muito esforço. Isso seria maravilhoso para o banco A e uma oportunidade de negócio perdida para o banco B (porque ele emprestou a 2% e perdeu a chance de emprestar a 7% com um risco até menor).

Como ninguém é inocente no mercado interbancário, todos percebem isso e assim os bancos lançam seus CDIs a taxas próximas da Selic no mercado interbancário, de modo que na prática a CDI é praticamente igual à Selic (mas em geral nunca cruza a mesma).

Image for post
Relação entre CDI e Selic mostrando que os dois são muito próximos – Fonte: Banco Central do Brasil |cetip

Relação entre CDI e investimentos

Um dos investimentos de renda fixa que você pode fazer em bancos se chama justamente CDB (Certificado de Depósito Bancário), no qual basicamente você empresta dinheiro a um banco. Visto que a taxa do CDI é a taxa pela qual os bancos trocam títulos entre si e é muito próximo da taxa Selic, o CDI acaba servindo também como um parâmetro interessante para o investidor comum saber se está tendo um rendimento razoável com relação as taxas de juros que os bancos praticam entre si. Afinal de contas, se você está emprestando dinheiro para o banco no mínimo você quer ser remunerado de forma similar.

Vejamos alguns exemplos práticos. Ora, se os bancos emprestam um para o outro a uma taxa CDI de 10%, porque eles te pagariam de volta só 8% (80% do CDI) quando você deixar seu dinheiro com eles? Por outro lado, se o CDI está 10% e o seu investimento no banco te dá um retorno de 12%, você está ganhando 120% do CDI, o que é vantajoso e significa pelo menos em teoria que esse determinado banco está te pagando mais do que pagaria emprestando dinheiro de um outro banco.

O que levaria o banco a te pagar mais do que o CDI?

Se sabemos que bancos por definição não gostam de perder dinheiro. Bem, há vários motivos contábeis e administrativos para isso. Talvez o banco não tenha tanta liquidez e precise de dinheiro que ele não consiga totalmente no mercado interbancário, ou talvez ele precise de projetos de longo e não possa contar somente com os CDIs – afinal CDIs são títulos de curtíssimo prazo, ao contrário de CDBs por exemplo que tem prazo bem mais longo. Assim, quando você investe seu dinheiro em um CDB, você dá muito mais fôlego para o banco visto que ele tem muito mais tempo para te pagar, por isso mesmo nada mais justo que você receber um prêmio no longo prazo no mínimo igual ou maior do que o CDI.

Como usar o CDI para decidir sobre seus investimentos?

Via de regra, o investidor de renda fixa deve tentar encontrar investimentos que paguem acima de 100% do CDI. Por que isso?

Veja bem, há um título do Tesouro Direto que paga a taxa Selic (Tesouro Selic). Esse investimento é extremamente seguro e tem liquidez diária. Por outor lado, investimentos em CDBs de bancos, apesar de terem garantia do FGC, são necessariamente menos seguros do que o Tesouro Direto (afinal de contas ao menos em teoria é mais fácil um banco falir do que o país dar calote na dívida pública) e além disso tem liquidez variável.

Como dito acima, sabemos que a taxa Selic é muito similar ao CDI. Dessa forma, não faz sentido algum investir em algo que tenha um risco maior, uma liquidez pior, e ainda por cima pague menos do que a Selic. Então é recomendável procurar investimentoscom um rendimento de mais de 100% do CDI.

Acredite ou não, há bancos que tem a cada de pau de oferecer CDBs pagando 85% do CDI. Para esses você diz não, obrigado. Ignore tudo que pague menos de 100% do CDI, idealmente deve ser mais. Quão mais? O mais alto melhor? Não necessariamente. É preciso levar em consideração o risco do título que você está contratando.

Cuidado com os riscos

Você deve tomar cuidado com promessas de retorno muito alto. Se por algum motivo o banco está te prometendo pagar um retorno de 160% do CDI, é preciso ver o porque. Será que esse banco é saudável? Talvez ele opere alavancado demais. Ou será que ele não consegue crédito na praça com juros menores por ter má reputação? Ele vai estar vivo no final do prazo para te pagar? Tudfo isso precisa ser levado em consideração.

É por isso que costumamos ver bancos menores oferecendo CDBs com taxas mais atrativas com relação ao CDI, e bancos maiores e mais consolidados oferecendo taxas bem menos atrativas. O risco é diferente e precisa ser levado em conta. Entretanto como já dito, qualquer que seja o caso não faz sentido investir em nada que pague menos de 100% do CDI, porque nesse caso é melhor ir logo para o Tesouro Direto.

Como encontrar investimentos com rendimento acima do CDI

Via de regra, para fazer bons investimentos você precisa pesquisar. Nesse caso não é diferente. Tenha em mente que as melhores ofertas de investimentos que oferecem retorno de 100% do CDI ou mais nomalmente estarão nas corretoras de valores, não nos grandes bancos. Além disso, você pode pesquisar por listas em alguns sites relacionados à finanças (mas estas ficarão desatualizadas com o tempo).

Por enquanto é isso. Espero que tenham entendido o conceito de CDI e sua importância. Em outros artigos falaremos espeficicamente de CDBs, Tesouro Direto, e outros ativos de renda fixa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *